Novo harwarder é considerado “a reinvenção da roda”

Christer Lennartsson já é considerado reinventor da roda no mundo florestal. O novo harwarder, chamado de “The Beauty”, é uma colheitadeira combinada e despachante – uma elegante máquina com dez rodas e um sistema de distribuição de peso especialmente projetado, que reduz a pressão sobre os danos no solo. A invenção será apresentada na Elmia Wood 2013, que será realizada na cidade de Jönköping, na Suécia, entre os dias 5 e 8 de junho.

“Queríamos criar uma máquina que é sempre horizontal para o operador e carga. O resultado é menos estresse na máquina. O trabalho passa a ser executado de forma mais suave e a pressão sobre o solo é sempre a mesma, independentemente do gradiente”, explica Lennartsson. A solução desenvolvida pela Lennartsson e seu colega Andreas Andersson é uma máquina com dez rodas em vez das seis habituais, ou oito. A Ponsse foi a primeira fabricante de máquinas a criar um dez rodas, mas que tinha rodas padrão comuns. Em contraste, harwarder de Lennartsson tem um par de rodas traseiras de borracha sólida.

As rodas especiais têm um impacto decisivo sobre o desempenho da máquina. As rodas de borracha têm sulcos transversais que se encaixam precisamente na forma de bandas de aço e, assim, permitem um funcionamento mais seguro e mais potente da máquina. As bandas de aço ajudam a distribuir o peso sobre uma área maior, reduzindo assim a pressão sobre o solo e dando à máquina muito melhor acessibilidade. As rodas têm também um motor de quatro dos dez cubos de roda, de modo que a velocidade destas rodas pode ser controlada individualmente.

“As rodas têm braços de pêndulo individuais e nivelamento. Elas podem passar por cima de obstáculos com mais de 90 centímetros de altura sem inclinação para o lado”, diz Lennartsson. Ele explica que o uso de borracha sólida também tem muitas vantagens especiais no ambiente de floresta. “Você evita perfurações, que são um grande problema na floresta. As rodas têm também alguma resiliência – que não são rígidas e as vibrações são distribuídas. Estamos extremamente satisfeitos com essas rodas”, acrescenta Lennartsson.

Outra vantagem é que esta nova colheitadeira pode ser adaptada, com as rodas sendo moldadas de acordo com as características do solo. “Podemos construir degraus com as larguras que as pessoas quiserem”, diz. A nova máquina também é mais econômica, com um consumo menor que varia de 10% a 25%. E Lennartsson detalha: “Com o acionamento direto em cada roda há menos componentes, não há caixa de distribuição, nem juntas universais, nem diferenciais, sem radiador de óleo – apenas um cooler para o próprio trator”.

Lennartsson e Andersson – os inventores da colheitadeira – estão tão felizes com o resultado da invenção que a emoção atrapalha descrição dos detalhes da máquina. “Colheitadeiras como esta podem até ter existido antes, mas não com faixas. Nós acabamos de tomar uma abordagem um pouco diferente, que envolve transmissão hidráulica e nivelamento individual”, diz ele.

Apelidada de “A beleza”, “The Beauty” é uma máquina para o corte final e também direto de carga e descarga na beira da estrada, sem qualquer intermediário na descarga das toras no solo. A máquina pode fazer tudo isso, graças aos seus ‘super pneus’ e um mecanismo de liberação rápida patenteada, o que significa a possibilidade de alternar entre o uso de seu guindaste como uma colheitadeira e como um encaminhador.

Patentear as rodas especiais não é algo que Lennartsson quer fazer no futuro imediato. Mas ele não tem medo que alguém venha a imitar a invenção. “Levamos cinco anos para desenvolvê-los e estamos extremamente satisfeitos, mas o processo é tão complexo que ninguém mais irá fazê-lo”, comenta . “A beleza” está pronta para enfrentar a concorrência durante a Elmia Wood. “Eu não diria que ela está totalmente desenvolvida, porque o projeto poderia ser mais refinado e um pouco mais flexível. E então eu gostaria de um parceiro de negócios – um que possa fabricá-la”, conclui Lennartsson.

Fonte: Painel Florestal